• siga o )feminal( no twitter
  • comunidade )feminal( no facebook
  • comunidade )feminal( no orkut

Nos esportes as mulheres se superam a ganham medalhas

6 de março de 2010

A mulher vem galgando pontos e mostrando não haver contestação quanto às performances vitoriosas. Comecemos com a tenista Maria Esther Bueno, obteve vitórias sucessivas palco mais sagrado do Tênis Mundial – Wimbledon – onde na década de 60 ganhou aquele torneio por duas vezes. Este fato inédito jamais foi jamais foi batido nem por homens nem por mulheres, que até hoje não venceram em Wimbledon.

Foi a partir dos anos 80 que a mídia se abriu mais para os esportes femininos. NO basquete havia duas jogadoras fantásticas Hortência e Paula, bem secundadas por Janete. Eles integravam a seleção que venceu o Pan Americano jogando a final contra Cuba e vencendo e ganhando a medalha de Ouro. No podium, o presidente Fidel Castro não se conteve em brincou com a brasileira Paula, dizendo que se negava a entregar a medalha. Tudo não passou de brincadeira de Fidel, que acabou se rendendo ao talento brasileiro.

No vôlei, os duelos com as cubanas se transformaram em verdadeiras guerras, quando as atletas de ambas a equipes chegaram a vias de fato depois de vitória de Cuba. O time brasileiro era forte e tinha atletas de grande envergadura técnica, com destaque para Márcia Fú, Ana Moser, Mirna, Jaqueline entre outras.

Depois de várias tentativas, o Ouro Olímpico veio em 2008 nas Olimpíadas da China. No time atletas de nível como Fofão, Fabiana, Mari, Paula Pequeno, Fabi e Sheila.

Nas areias o brilho vinha com a dupla Shelda e Sandra, Medalha de Ouro nas Olimpíadas de Atenas, entretanto elas ficaram com a Medalha de Prata.

Na Ginástica Olímpica a gaúcha Daiane dos Santos sagrou-se campeã mundial no solo com o Triplo Carpado, sendo a primeira conquista de uma ginasta.

Nas Olimpíadas de Pequim, em 2008, que brilhou mesmo foi Mauren Maggi, que obteve Medalha de Ouro no Salto em Distância. Outro título inédito ganha pela mulher.

Chegamos ao futebol, onde depois de demorado processo a equipe brasileira conseguiu um pouco de estrutura da CBF e surgiram craques de bola, onde pontifica Marta, eleita quatro vezes seguida a melhor jogadora do mundo. Ela secundada em brilho com a ponteiro Cristiane e só não chegaram ao ouro porque perderam a final para a Alemanha. Mas indiscutivelmente temos a melhor do mundo.

NO concurso de vela, também houve vitória inédita com a Medalha de Bronze obtida pela equipe brasileira, onde a gaúcha Fernanda foi uma das integrantes deste feito inédito.

Na equipe de natação temos atletas de alto nível e as vitórias virão em pouco tempo.

Enfim, a mulher está vencendo os homens no futebol, onde nenhum obteve o título de Marta. No máximo obtido pelos homens foi bimundial com Ronaldo Fenômeno.

Na direção esportiva também as mulheres se destacam, onde a primeira mulher a assumir a presidência do Flamengo foi Patrícia  assumiu o Flamengo, campeão brasileiro de 2009, mas muitos anos antes uma outra mulher se destacou. Jurema Bagatini, que faleceu em dois de março de 2010.

Ela assumiu a presidência do Esporte Clube Encantado, da cidade de Encantado. Na época, tinha 24 anos e trabalhava como professora de economia doméstica. Ela decidiu trabalhar para reerguer o clube, que estava fechado. Foi uma revolução na época, com tal repercussão que provocou reuniões do antigo Conselho Nacional de Desportos.

A experiência durou pouco mais de um ano, tempo suficiente para levar o Encantado para a primeira divisão do futebol gaúcho e chamou a atenção do país e do exterior. Jurema se considerava a primeira mulher do mundo a dirigir um clube de futebol. Uma lembrança oportuna e uma homenagem a esta mulher que revolucionou conceitos e quebrou paradigmas.