• siga o )feminal( no twitter
  • comunidade )feminal( no facebook
  • comunidade )feminal( no orkut

A história do feminismo é revestida de lutas

6 de março de 2010

Uma mulher à frente do seu tempo
Nísia Floresta foi a precursora do feminismo no Brasil, nascida no Rio Grande do Norte em 1810 sempre lutou por uma educação feminina igualitária. Viveu ainda no Pernambuco, no Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e Europa, onde passou os últimos anos de vida. Deixou inúmeras obras e em mais de uma língua, abordando não somente a situação da mulher no século XIX, mas também a escravidão, o índio e as belezas do Brasil. “Certamente Deus criou as mulheres para um melhor fim, que para trabalhar em vão toda sua vida”, texto da obra Nísia Floresta em “Direitos das Mulheres e Injustiças dos Homens”.
Obra: Em Papara, nasce uma ilustre brasileira; A Peregrina das Letras; Alguém ousa falar pelas mulheres; A Luta feminina em todos os tempos; Na Capital do Império, Nísia rompe paradigmas; Contra toda forma de dominação; A exclusão atravessa os séculos; Uma brasileira entre a vanguarda européia; As cartas entre Comte e MME. Brasileira; A intelectual contemplando a história; A Pátria na bagagem; A volta ao sítio Floresta; O Brasil redescobre Nísia Floresta; Os desafios da atualidade.
Nísia Floresta morreu aos 75 anos não sem antes, em Paris tornou-se amiga do filósofo positivista francês Auguste Comte.
Em 2006 foi focalizada pelo Projeto Memória da Fundação Banco do Brasil, que levou aos quatro cantos do Brasil a obra desta importante personalidade, cujo pensamento, obra se transformou em herança daquela que foi uma das maiores mentes femininas do Século XIX.